Quem somos

HISTÓRICO DO MOVIMENTO PESTALOZZIANO

O nome Pestalozzi chegou ao Brasil através do objetivo sublime que emanava do casal de professores Thiago e Johanna Würt, fundando em 26 de Outubro de 1926, o Instituto Pestalozzi em Canoas, no Estado do Rio Grande do Sul, que destinava-se ao atendimento de crianças “deficientes e inadaptadas”.

Thiago Würt, de educação francesa era brasileiro e profundo conhecedor dos princípios da infância e adolescência. A semente de Pestalozzi fez-se presente na caminhada deste intelectual e, inspirado no mestre suíço Johan Henrique Pestalozzi, deu somente “enfoque social” à sua obra.

Esteve à frente do trabalho desenvolvido no Instituto Pestalozzi até a sua morte em 1976. Após seu falecimento sua filha, a professora Erna Würt, assumiu o Instituto.

Em 1929 aportava ao Brasil a professora e psicóloga Helena Antipoff, contratada pelo Governo de Minas Gerais para aplicar seus conhecimentos e técnicas, estudando o problema de crianças repetentes das escolas públicas e para lecionar em uma Escola de Aperfeiçoamento de Professores.

Nesta época, ao seus redor, construía-se um grupo de pessoas vivamente interessadas em suas propostas educacionais – iniciava-se assim o Movimento Pestalozziano.

Imbuída dos ideais de Pestalozzi, introduziu em nosso país a “Pedagogia Social” tendo como base “Educar com Amor”, pois, como Pestalozzi, identificava-se também com o sofrimento e necessidades daqueles que viviam à margem das conquistas sociais. Dedicou-se em especial à criança diferente: a deficiente mental com problemas emocionais, a superdotada e a criança do meio rural, voltando seu olhar ao SER, que é constituído através de um conjunto que se inter-relaciona mas que, muitas vezes, escapa da compreensão humana.

Neste enfoque do “sentimento” a professora Helena direcionou seus trabalhos abordando o aspecto do “coração”, dando ênfase ao afeto no processo de construção da pessoa. Queria desenvolver em nosso país novas concepções e conquistas pedagógicas que se desenvolviam nos centros mais adiantados do mundo.

E em 1932 fundou a primeira Sociedade Pestalozzi, destinada à educação de pessoas especiais, sejam por anormalidade orgânica, por problemas oriundos do ambiente familiar, socioeconômicos ou dificuldade em acompanhar um programa escolar metódico, aplicando a teoria do “Aprender Fazendo”.

HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO MANTENEDORA

A Associação Pestalozzi de Petrópolis é uma sociedade civil de direito privado sem fins lucrativos, com sede no município de Petrópolis, com estatuto registrado sob o nº 8812, no livro A-3. Inscrita no CNPJ sob o nº 28.462.851/0001-75, Utilidade Pública Federal nº 1450-98-63, registrada no Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) nº 008, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) nº 026, Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (CEBAS) renovado até 25/12/2020.

Foi fundada em 21 de Outubro de 1976, mas somente em 23 de Março de 1986 iniciou suas atividades, propiciando assistência às pessoas com necessidades especiais nas áreas de educação, saúde e assistência, mantenedora da Escola Especial Eunice José Vieira, que atende a educandos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental tendo, ainda, terapias de apoio, através de uma equipe multiprofissional.

A Escola Especial Eunice José Vieira encontra-se registrada na Federação Nacional das Pestalozzi (FENAPESTALOZZI) sob o nº 024, de 21/10/1976 e autorizada pela Secretaria Estadual de Educação, sob o nº 408, obedecendo normas e diretrizes LDB (Capítulo V – 9394-96).

PRINCÍPIOS INSTITUCIONAIS

  • Assegurar os direitos da pessoa com deficiência.
  • Oferecer possibilidades para a preparação da pessoa com deficiência para a vida.
  • Melhorar a qualidade de vida da pessoa com deficiência, possibilitando o desenvolvimento do seu potencial.
  • Propiciar à pessoa com deficiência condições para desenvolvimento de sua individualidade.
  • Reduzir preconceitos, sensibilizando a sociedade para a causa da pessoa com deficiência.

VISÃO INSTITUCIONAL

Associação Pestalozzi de Petrópolis, instituição de referência na defesa, prestação de serviços de inclusão social nos diversos segmentos afins às pessoas com deficiência.

MISSÃO INSTITUCIONAL

Tem por fim o estudo, a assistência, o tratamento a educação e o ajustamento social de pessoas com deficiência que, por seu desenvolvimento mental, aptidões e caráter especiais, necessitam de assistência pedagógica, terapêutica e de reabilitação em ambientes especialmente orientados.

ESFERAS DE ATUAÇÃO INSTITUCIONAL

  • Defesa de Direitos
  • Assistência Social
  • Educação
  • Saúde
  • Esporte, Lazer e Cultura
  • Capacitação e Aperfeiçoamento da Equipe Multiprofissional